Os Novos Clássicos: uma turma com tudo em cima

Carros antigos que estão na alta nos dias de hoje

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/07/revista-evoke-colunista-clayton-de-sousa-1.jpg
Clayton Sousa
Automóveis, Lifestyle
09/01/18 15:12

Quem nasceu nas décadas de 1980 e 1990, certamente andou em um Gol, Parati ou Escort. A versão XR3, então, era uma das mais desejadas dos boyzinhos da época. Esses e vários outros modelos estão, agora, na mira dos colecionadores. Como algumas relíquias têm menos de 30 anos de fabricação, ainda não são consideradas antigas. Em compensação, fazem parte de outra turma com a moral lá em cima: a dos “Novos Clássicos”.

A lista de estrelas inclui Opala e Caravan, Chevette, Monza, Vectra, etc. Viu aí, né? A Chevrolet não brincou em serviço em um tempo que esportividade e luxo eram para poucos. Em 1992, a montadora ainda trouxe para cá o Omega – considerado por muitos o melhor carro fabricado em nosso país. “Pra gente, não importa se o veículo está enferrujado ou polido. O importante é a pessoa ter um Opala, ter a paixão, ter esse espírito de equipe. Eu possuo dois Opalas e uma Caravan”, afirma todo orgulhoso Mario Kutscher, vice-presidente do Opala Clube de Brasília. Só a nível de conhecimento, um Diplomata 1992 bem conservado, hoje, chega a custar quase R$ 40 mil.

Pode apertar o cinto, meu amigo, porque tem muita poeira para revirarmos até o final desta coluna. Do lado da Fiat, não podemos nos esquecer do Tempra, do Uno – principalmente o Turbo- , além do Tipo (às vezes, ele pegava fogo por causa da proximidade das mangueiras do combustível com o motor, mas tudo bem). Ah, muita gente teve o prazer de acelerar o Marea. Tá vendo? É só dar um leve “tranco” na memória que lembramos de várias joias.

A Volkswagen, também, foi mestre em produzir carros confiáveis. Até hoje, vários deles desfilam pelas ruas e estradas brasileiras. Qual modelo fez parte do seu passado? Voyage? Saveiro? Santana?

A admiração por toda essa história tem acelerado bem mais do que os próprios veículos. Tanto que donos se reúnem praticamente todos os finais de semana, em Brasília, para curtir os brinquedos e trocar informações. Melhor ainda quando a solidariedade pega carona. “O que move a nossa turma é a paixão pelos modelos quadrados da Volks. É uma forma de reunirmos amigos e, assim, ajudarmos o próximo. Sempre que possível, a gente arrecada alimentos, roupas e agasalhos para serem doados às pessoas carentes, em todo o Distrito Federal e entorno de Goiás”, disse Udston Teles de Oliveira, Coordenador do VW Square Motorsport.

Se essa reportagem te despertou a vontade de dar mais charme a sua garagem, não “durma no ponto”. A tendência é dos preços subirem e muito. Quando os Novos Clássicos completarem a maior idade mesmo, pode preparar o bolso.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe nosso instagram e veja no stories as novidades.