E agora, o que faz o brasil, Brasil?

O que aconteceu com o nosso jeito cortês de ser?

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/07/revista-evoke-colunista-basilia-rodrigues.jpg
Basilia Rodrigues
Lifestyle, Tonalidade
02/01/19 10:39

Depois que proibiram tirar camisa no futebol, depois que adotaram pinça pra comer pipoca, depois que a banda Calypso, aquela do Pará, mudou de nome e virou X alguma coisa, o mundo mudou.

Até pouco tempo, poderíamos dizer “isso nunca aconteceria no Brasil”. E os motivos para tal afirmação eram um misto do carisma e da solidariedade do brasileiro. Aquela tal brasilidade. Esperto, sim, trabalhador, muito. Mas, em via de regra, ciente de que por mais que dê vontade de não levantar da cama, de brigar com aquele desafeto, de gritar pelas injustiças, tudo isso será feito de maneira cortês. Sem machucar, indo a fundo, sem ferir. Mas parece que tudo mudou.

Antes, víamos o terror de outros países pela TV, no conforto do nosso lar.

Agora, nem precisa acordar com o pé errado, o pior de nós já está levantando sozinho e andando por aí. Aquele instinto outrora domável se aflorou e, se não cuidar, tem poder de dominar todo o ser que somos.

Tente responder o porquê das recentes transformações. Vai além da nova mania de se comer hambúrguer de luvas. A nossa essência está mudando? Viramos um povo olho por olho, dente por dente? Realmente há quem acredite que posicionamentos assim poderão levar a um choque de gestão e novos costumes no país? São só algumas questões. Porque se for assim, vale dizer, os intolerantes de hoje serão os não tolerados de amanhã.