Como lidar com o luto nas festividades de fim de ano?

Psicologa fala a respeito desse período do ano e ressalta a importância de trabalhar a questão do ciclo da vida

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/09/revista-evoke-avatar.png
Revista Evoke
Bem Estar, Evoke Mind
23/12/19 16:08

Natal é sinônimo de família reunida, casa cheia e um momento de confraternizar. Contudo, para quem perdeu um familiar ou um ente querido, as celebrações de fim de ano passam a perder o sentido e o momento de celebração dá espaço para uma tristeza profunda e muita melancolia diante das lembranças que reverberam na mente e no coração. Esse momento de dor nessa época também está imbuído de uma grande dificuldade em participar desses eventos sociais.

O enlutado se vê diante de um dilema em que se cobra com perguntas: Como serei capaz de vivenciar esta época do ano? Como será o meu natal e ano novo agora sem um familiar? No entanto, não existe uma receita prescrita que diminua a dor nesses períodos festivos, pois cada membro da família reagirá de uma forma única e particular e.

Para a psicóloga clínica, Raquel Estrela (CRP- 01/16047) é “importante trabalhar a questão do ciclo da vida. Para ela, o comportamento humano tende a focar na dor e na tristeza.  Segundo a psicoterapeuta para passar por esse momento sem tanto sofrimento, é recomendável pensar em dar continuidade em algo representativo para o ente que se foi, como comida predileta, fotos e costumes”.

Raquel afirma que é normal a pessoa enlutada se sentir culpada por participar desses eventos e que para amenizar esse sentimento é importante lembrar dos outros integrantes da nossa família, que merecem receber amor e atenção.

A psicóloga explica que se a perda for recente, cabe ao enlutado decidir se essa confraternização trará benefício a ela, e que não há uma obrigatoriedade em aceitar todos os convites, participando apenas de programas que tenham um significado. Além disso, é importante se permitir sentir alegria, para que em algum momento da dor, o envolvido também possa sentir novamente a leveza da vida.  “Não se repreenda por se sentir feliz durante o processo de luto”, explica Raquel.

 

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.