Como incentivar a leitura entre crianças e adolescentes

Segundo pedagoga, os livros contribuem para a capacidade de argumentação, ampliação do vocabulário e aumento de concentração

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/09/revista-evoke-avatar.png
Revista Evoke
Cultura, Entretenimento
26/10/20 18:41

Buscando conhecer o perfil e o comportamento dos brasileiros acerca da leitura, o Instituto Pró-Livro, caracterizado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) criou a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”. Neste ano, a entidade divulgou, por meio da análise, que, de 2015 a 2019, o nosso país perdeu mais de 4,6 milhões de leitores. Já as pessoas que não possuem o hábito da leitura contabilizaram 48% da população, equivalente a cerca de 93 milhões de pessoas.

De acordo com Vanessa Araújo, pedagoga do Colégio Seriös, em um mundo cada vez mais tecnológico, o uso excessivo de telas – principalmente computadores e celulares – é um grande inimigo para o hábito da leitura. Para os jovens, a situação ainda é mais delicada, pois, deve-se levar em consideração que muitos já lidam com essa realidade desde a infância.

Atualmente, é sabido que o hábito de ler traz incontáveis benefícios. Os mais famosos, dentre eles, envolvem a estimulação da criatividade; a redução do estresse; o aprimoramento de conhecimentos; a evolução da escrita; e o desenvolvimento de pensamento crítico.

“Capacidade de argumentação, ampliação de vocabulário (em até 100 vezes, comparado àqueles que não têm esse acesso), aumento do tempo de concentração e do nível cultural também são outros importantes ganhos”, complementa a pedagoga.

Além disso, a profissional também pontua que é fundamental incentivar a leitura para que a prática se torne natural e constante. Por isso, no que diz respeito às crianças e adolescentes, esse processo deve ser iniciado o quanto antes. Às vezes, até mesmo no período de gestação.

“Aconselhamos que a leitura comece na vida intrauterina, pois há estudos que comprovam a importância do primeiro contato dos bebês com os fonemas. Iniciar essa prática é imprescindível para o desenvolvimento das crianças e adolescentes, visto que a função da leitura não é determinada somente pela atuação da escola, mesmo sendo esta uma grande responsável por essa prática “, explica.

 

Foto: divulgação

 

Em 2015, uma pesquisa apresentada no encontro da Pediatric Academic Societies (PAS), evento anual de pediatras e outros profissionais da Saúde, mostrou que o estímulo precoce à leitura influencia na atividade cerebral do bebê e muda a forma que o cérebro processa histórias. Isso influencia diretamente nas chances da criança se tornar leitora sem grandes dificuldades.

“A melhor forma de ensinar é com exemplo. Um estudo australiano, do Murdoch Children’s Research Institute, mostrou que, quando os pais leem para o filho, o desenvolvimento da linguagem é superior e a criança se vê mais inclinada à literatura. A escola também exerce uma grande influência e, por isso, é importante oferecer programas de incentivo à leitura, como ciranda do livro, clube de leitura, programa de pequenos escritores, espaço para divulgação e dicas de leitura”, aconselha Vanessa.

Para motivar a leitura dentro de casa, a pedagoga separou cinco dicas para mudar a rotina de crianças e adolescentes para incentivar, cada vez mais, o hábito de ler. Confira:

  • Leia para as crianças, sejam elas alfabetizadas ou não;
  • Estabeleça uma rotina de leitura;
  • Apresente histórias da vida e obras de escritores conceituados, bem como as conquistas deles;
  • Peça que as crianças e/ou os adolescentes falem sobre o que leram – sem tom de cobrança, mas de curiosidade;
  • Tente alcançar os amigos dessas crianças, pois, quando os pares se interessam, fica mais fácil envolver um grupo em uma proposta.

 

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.