Comércio do DF espera crescimento de 8,5% nas vendas para o Dia das Crianças

O estudo foi realizado com 400 empresários de 12 segmentos

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/09/revista-evoke-avatar.png
Revista Evoke
Economia, Notícias
08/10/18 15:06

Os empresários do comércio do Distrito Federal estão confiantes com a próxima data comemorativa. Segundo levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio, o Dia das Crianças deve gerar um crescimento de 8,51% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado. O estudo foi realizado com 400 empresários de 12 segmentos. Entre os empresários entrevistados, 50,3% declararam que aguardam vendas maiores do que no ano passado. Uma média de 38,3% apostam em vendas iguais e 11,5% acreditam que as vendas serão menores. Em 2017, a expectativa de vendas foi mensurada com previsão de 26,54% de crescimento.

O vice-presidente da Fecomércio-DF, Edson de Castro, explica que os segmentos de Lojas de Chocolate  e Vestuário/Acessórios lideram o ranking entre os lojistas mais otimistas para o período. Registrando expectativa de vendas da ordem de 17,50% e 16,33%, respectivamente. “Normalmente, o segundo semestre é melhor em vendas do que o início do ano. O Dia das Crianças é uma data comemorativa que movimenta muito o comércio e os empresários já estão se preparando para as vendas de final de ano, por isso o Dia das Crianças será um termômetro para dezembro”, ressalta. O preço médio do presente para o Dia das Crianças foi estimado em R$ 360,58. O levantamento do Instituto Fecomércio constatou ainda que 31,5% dos entrevistados declararam que devem ampliar seus estoques.

 

Consumidor

O Instituto Fecomércio também realizou uma pesquisa sobre a intenção de compra dos clientes. De acordo com o levantamento, 51% dos consumidores pretendem comprar algo no período, 35% não pretendem comprar e 14% ainda não sabem. Foram entrevistados 400 consumidores. O vice-presidente da Fecomércio, Edson de Castro, ressalta que no Dia das Crianças deste ano, as preferências do consumidor indicam produtos como brinquedos (82,5%), seguido de vestuário/acessórios (58,5%) e calçados/acessórios (34,6%).

O levantamento mostra que o preço médio do presente pretendido pelo consumidor é de R$ 162,18. Quanto à forma de pagamento, 58,8% dos consumidores declararam a preferência pelo pagamento à vista. Essa preferência indica que os limites de créditos ainda continuam restritos forçando o consumidor a optar por pagamentos que possam ser comportados pela sua disponibilidade atual.

Quanto à experiência de consumo, o cliente aponta o desconto e as promoções como principais fatores de indicação de uma loja. Isso tem a preferência de 57,5% dos entrevistados como o principal fator para recompra. Isso indica que o consumidor entenderá como experiência positiva a que tiver melhor economia em seu orçamento. Consequentemente atenda às suas necessidades. Contudo, quando analisado os fatores que influenciam no índice de rejeição, ou seja, desistência pelo consumidor na compra de algum produto em determinada loja antes mesmo de sair de casa, o apontamento para o Dia das Crianças foi para “relacionamento ruim com o vendedor / gerente”, por 49,8% dos consumidores.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.