CCBB recebe a exposição Vaivém

A exposição reúne mais de 300 obras dos séculos 16 ao 21 que destacam as redes de dormir na arte e cultura visual no Brasil

https://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/09/revista-evoke-avatar.png
Revista Evoke
Cultura, Entretenimento
30/08/19 11:57

O Centro Cultural Banco do Brasil Brasília recebe, de 3 de setembro a 10 de novembro, a exposição Vaivém, que retrata a trajetória das redes de dormir nas artes e na cultura visual no Brasil. Com curadoria de Raphael Fonseca, crítico, historiador da arte e curador do MAC-Niterói, a mostra reúne mais de 300 obras, com recorte entre os séculos 16 ao 21, e a participação de 141 artistas – entre eles, 32 indígenas.

Na seleção, pinturas, esculturas, instalações, fotografias, vídeos, documentos, intervenções e performances, além de objetos de cultura visual, como HQs e selos, que serão exibidos nas Galerias 1 e 2 e Pavilhão de Vidro do CCBB.

Na abertura da mostra, no dia 3 de setembro, às 19 horas , o público terá a oportunidade de conhecer o processo de montagem e seleção das obras com o curador Raphael Fonseca. Ele ministra a palestra Construções do Brasil no vaivém da rede de dormir: de pesquisa acadêmica para uma exposição transhistórica, no hall do Museu (1º andar).

A mostra nasce de uma pesquisa de doutorado do curador, que decidiu transformar o trabalho acadêmico em exposição de arte e compartilhar com o público parte das obras que encontrou ao longo dos quatro anos de pesquisa. “Longe de reforçar os estereótipos da tropicalidade, esta exposição investiga as origens das redes e suas representações iconográfica. Ao revisitar o passado conseguimos compreender como um fazer ancestral criado pelos povos ameríndios foi apropriado pelos europeus e, mais de cinco séculos após a invasão das Américas, ocupa um lugar de destaque no panteão que constitui a noção de uma identidade brasileira”, explica Fonseca.

O mostra reúne trabalhos de grandes nomes da arte brasileira, como fotografias dos artistas e ativistas das causas indígenas Bené Fonteles e Cláudia Andujar, e o objeto de Bispo do Rosário Rede de Socorro, uma pequena rede de tecido onde se lê o título da obra.

A exposição traz também obras de Tunga, artista que inaugurou o CCBB São Paulo, em abril de 2001. A instalação Bells Falls ganha uma nova versão e é apresentada ao lado dos registros fotográficos da performance “100 Rede”, realizada em 1997 na Avenida Paulista.

Vaivém esteve em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo até 29 de julho. Após a etapa em Brasília, segue para o Rio de Janeiro (dezembro/2019) e Belo Horizonte (março/2020).

 

 

 

Vaivém

Local: Galerias 1 e 2 e Pavilhão de Vidro / Centro Cultural Banco do Brasil Brasília

Data: 3 de setembro a 10 de novembro

Visitação: De terça a domingo, das 9h às 21h

Palestra com o Curador

Construções do Brasil no vaivém da rede de dormir: de pesquisa acadêmica para uma exposição transhistórica”, com Raphael Fonseca

Data: Terça, 3 de setembro

Horário: 19 horas

Local: Hall do Museu (1º andar)

Ingresso: entrada gratuita mediante voucher a ser retirado na bilheteria do CCBB

Endereço: SCES Trecho 2 – Brasília/DF  Tel.: 61 3108-7600

Mais informações no site: bb.com.br/cultura

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.