Uma horta no jardim da quadra incomoda? Por quê?

Quase fim de uma horta comunitária

http://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/07/revista-evoke-colunista-marcia-zarur.jpg
Marcia Zarur
Notícias, Olhar Brasilia
02/03/18 15:16

Esta semana fui surpreendida com uma série de mensagens de amigos indignados com o síndico do Bloco H, que resolveu acabar com uma horta comunitária na 216 Norte. E é de se espantar mesmo! Uma horta é uma iniciativa tão do bem…

Os moradores da região têm o maior orgulho dos “jardins medicinais e comestíveis” criados por ali. Não é de hoje que acompanho o carinho da comunidade com as plantas e os múltiplos significados que esses espaços têm na vida das pessoas.

Na última temporada do Distrito Cultural, mostramos a horta comunitária da 416 Norte, a quadra vizinha. Os moradores plantam, cuidam, se encontram, se alimentam… O cantinho vira um ponto de convívio, saudável e democrático. É de todos e para todos!

Essa é a verdadeira vocação dos nossos espaços públicos. Maria Elisa Costa, em entrevista ao Olhar Brasília, destacou: “Ninguém pode se achar proprietário dos pilotis dos prédios de Brasília! Os moradores dos apartamentos são ‘proprietários’ a partir do primeiro andar!”

É um dos conceitos mais lindos da cidade. A liberdade de escolher qualquer caminho, de poder ficar em qualquer lugar. Ninguém é dono do chão, ou melhor, todos são donos – em igualdade. E nenhum síndico pode ter poder maior do que a coletividade.

Já briguei muito no meu prédio uma época em que não queriam deixar as crianças brincarem embaixo do bloco. Ninguém pode proibir a brincadeira livre nos pilotis. E fico sem entender por que alguém destruiria um jardim tão lindo feito pela comunidade…

As hortas promovem o encontro. Mostram como é bom você conhecer o seu vizinho e poder contar com ele. Aproveitar essa característica única de Brasília é uma delícia. No jardim do meu prédio, por exemplo, a gente pode se fartar com amoras, mangas, romãs e pitangas, colhidas no pé. E não faltam manjericão, alecrim e erva-cidreira.

Já imaginou uma cidade grande que te oferece essa maravilha?! Essa cidade é Brasília. Que sorte a nossa!!!!

P.S.: conversei ontem com o síndico Jader Luciano Almeida. Ele sustentou que a decisão de retirar a horta foi tomada pela maioria dos presentes, em assembleia do condomínio. Ele afirmou que no momento da votação tinha 16 procurações, mas não soube precisar quantos votos foram computados ao todo para garantir a retirada das plantas. Ele classificou a horta atual como “uma bagunça e um depósito de lixo”. Estive lá hoje de manhã e encontrei um cantinho muito bem cuidado:

 

 

Texto originalmente publicado em Olhar Brasília.

 

Revista Evoke

Acompanhe nosso instagram e veja no stories as novidades.