Tem medo de ser mãe?

Saiba como funciona a gravidez depois dos 40 anos

Revista Evoke
Bem Estar, Saúde
10/04/18 17:07

Engravidar após os 40 anos é um assunto ainda encarado como tabu por várias pessoas. Mas com o avanço da medicina, essa é uma possibilidade cada vez mais segura. Hoje existem diversos tratamentos que as mulheres podem fazer para aumentar sua fertilidade. Além disso, também há aquelas que preservam os seus óvulos para serem usados na hora da correta. Se você quer saber mais sobre a gravidez após os 40 anos, nós separamos algumas informações. Com elas você verá que ser mãe é um sonho possível.

 

Por que a gravidez após os 40 anos tem crescido?

Segundo uma pesquisa do Ministério da Saúde, o número de mulheres que se tornaram mães após os 40 anos de idade aumentou 49% nas últimas décadas. Entre os principais motivos para a gestação tardia estão:

– Mais estabilidade financeira;
– Emocional e psicológico mais maduro;
– Avanço na medicina;
– Mudança nos relacionamentos afetivos entre outros.

Contudo, se você deseja ter uma gravidez após os 40 anos, é preciso ter em mente que, mesmo com os avanços tecnológicos, a gestação continua sendo de risco. Além disso, é preciso lembrar que naturalmente a mulher vai perdendo a sua fertilidade com o avanço da idade. Por conta disso, é essencial procurar métodos para preservá-la.

 

Métodos de preservação de fertilidade

  1. Congelamento de óvulos
    Essa é uma das técnicas mais populares. Ela é muito procurada por mulheres que desejam engravidar depois dos 40, que não tem parceiro ou que estão em um relacionamento homoafetivo. Nesse tratamento, os óvulos da paciente são congelados usando técnicas de ponta. Contudo, como eles são extremamente sensíveis às baixas temperaturas, a taxa de sucesso acaba caindo.
  2. Congelamento de embriões
    Esse método também é muito indicado para quem deseja uma gravidez após os 40 anos. Nesse caso, os óvulos obtidos por meio de estimulação ovariana e fertilizados em laboratório. Uma vez fertilizados, esses embriões são congelados e guardados até que a mulher resolva ter a gestação. Contudo, nesse caso, o pai biológico não poderá ser decidido posteriormente.

 

A estimulação ovariana

A estimulação dos ovários tem como objetivo aumentar o número de óvulos maduros e saudáveis, que serão posteriormente congelados ou fertilizados, para formarem embriões. Usualmente é realizada nos tratamentos para congelamento. Porém, algumas vezes, a paciente não tem tempo útil para a realização do procedimento, por necessitar de quimioterapia e/ou cirurgia. Nestas situações, o congelamento pode ser realizado sem esta estimulação prévia. Contudo, apenas um médico poderá avaliar o quadro e determinar qual a técnica mais adequada. Mas o importante é que você tenha em mente que a gravidez após os 40 anos é possível, basta procurar um método adequado.

“As técnicas de preservação da fertilidade podem ser feitas por qualquer mulher saudável que escolha esperar para engravidar ou que tenha a qualidade de seus óvulos em risco, seja por cirurgia nos ovários ou quimioterapia. A indicação é que o congelamento de óvulos seja feito até os 35 anos porque após esta idade há uma queda na quantidade e qualidade dos óvulos. A idade da mulher influencia diretamente em sua fertilidade. Por isso, se o momento é de esperar o congelamento de óvulos e embriões podem ser boas opções”, explica Dr Alfonso Massaguer, diretor da Clínica Mãe.