#EvokeFeminist – O interesse das mulheres no empreendedorismo

Entrevista com empreendedora na área de mecânica

Caroline Cesar
Empreededorismo, Notícias
28/02/18 14:50

O empreendedorismo está em alta. No Brasil, a atividade empreendedora está entre os 3 maiores sonhos dos cidadãos, de acordo com a Global Entrepreneurship Monitor (GEM), pesquisa global que monitora dados sobre empreendedorismo pelo mundo. Atualmente, mais de 7 milhões de mulheres possuem seus próprios empreendimentos e esse número tende a crescer cada vez mais.

Tornar-se uma empreendedora possui seus desafios, vantagens e desvantagens, assim como qualquer profissão. Entre os desafios da mulher de negócios, uma visão equivocada ainda faz com que pessoas pensem que uma mulher é incapaz de comandar uma empresa sozinha e que é necessário a presença de um homem. Isso faz parte do machismo ainda existente na sociedade e não seria diferente no mercado profissional.

Um dos motivos do interesse das mulheres no ato de empreender é que a mulher passa a ser dona da sua própria agenda e consegue administrar seus compromissos e responsabilidades de maneira mais flexível. Alcançar a independência financeira na área é possível, mas é necessário uma boa base de conhecimento e gestão financeira e administrativa por parte da mulher, visto que ainda existe uma diferença salarial entre homens e mulheres. De acordo com o IBGE, essa diferença é de 28% no Brasil.

 A focada Agda Oliver, de Brasília, revela como, depois de ter sido enganada por um mecânico, resolveu estudar e abrir uma oficina voltada para clientes do sexo feminino. Em entrevista, a empreendedora respondeu algumas perguntas sobre o tema:

 

Quais diferenças que você nota em relação ao perfil da mulher empreendedora de alguns anos para cá? 

A mulher hoje, é mais ousada! Bem mais ousada. Temos mais coragem de fazer cursos tipicamente masculinos, temos mais coragem de nos impor frente a obstáculos e estamos sim, mais preparadas para a quebra de paradigmas antes rotulados masculinos. Nós estamos com mais vontade e desejo de ter uma carreira promissora e que nos dê a chance de inovar, de mostrar que somos capazes.

Qual principal fator levou você ao mundo do empreendimento? 

A inovação! Sempre sentia que era “podada” em meus empregos anteriores, e ficava com o sentimento que eu poderia fazer mais para que tais procedimentos funcionassem.

 

Agda Oliver, fundadora do Meu Mecânico.

 

 

Quais os maiores benefícios e as maiores dificuldades em relação a mulher dentro do mercado de trabalho? 

A chance de fazer seu próprio tempo para trabalhar eu cito como um dos benefícios de se ter seu próprio negócio, bem como a proximidade que seu empreendimento te dá de estar mais próximo de filhos, esposo e familiares. Mas no mesmo instante a gente perde benefícios, como férias longas, 13º salário. Temos ainda a dificuldade de encontrar pessoas idôneas para estar frente a empresa executando os serviços que você almeja ser realizado de tal forma. Liderar equipe é maravilhoso, mas é um trabalho que te exige tempo, persistência e compreensão.

Você já passou por alguma situação de discriminação no meio profissional por ser mulher?

Sim, já teve casos de homens e mulheres dizer para mim que eu era incapaz de consertar o carro dele (a), pelo simples fato de ser uma mulher a frente do negócio. Que conselho dá para mulheres empreendedoras? Não discuta com uma pessoa que não sabe o que diz. Dê tempo ao tempo e logo perceberão que você é capaz.

“O negócio para ter sucesso, deve ser estudado, pesquisado e planejado. Tentar na sorte não é a melhor solução, acredito que quando se tem base, fundamento, conhecimento e prática, a chance de dar errado diminui em 80%. Faça algo que te dê motivação para continuar. “, afirma Agda.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe nosso instagram e veja no stories as novidades.