Exames avançados ajudam no monitoramento do câncer

Neste ano, o Inca prevê 600 mil novos casos da doença no Brasil

Revista Evoke
Notícias, Tech
01/03/18 14:10

Para 2018 e 2019, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima o registro de uma média de 600 mil novos casos da doença no Brasil. Apesar da cura ainda não ser uma realidade, por meio da Tomografia Computadorizada (TC) e da Ressonância Magnética (RM) é possível ter acesso às informações necessárias ao acompanhamento de cada tipo de câncer. Esses métodos são menos invasivos e utilizam tecnologia altamente moderna para avaliar a extensão do câncer, obter dados para o planejamento de uma possível intervenção cirúrgica, além de monitorar a resposta do paciente ao tratamento.

Segundo o Dr. Wagner Diniz, médico radiologista do Laboratório Exame, no caso da TC, o diferencial está na realização de exames com dose baixa ou ultrabaixa de radiação. “Como os pacientes oncológicos passam por vários procedimentos ao longo da terapia, quando são submetidos a dose reduzida de radiação, os potenciais efeitos prejudiciais têm menor probabilidade de ocorrer”, explica.

Outro diferencial da TC apontado pelo especialista é o rastreamento de câncer de pulmão em pessoas assintomáticas com alto risco de desenvolverem esse tipo da doença. “Nesses casos, é comprovado cientificamente que há uma significativa redução da mortalidade quando são diagnosticados precocemente”, esclarece Diniz.

Já na ressonância magnética, de acordo o médico, é possível observar outras características relacionadas a alguns tipos de tumores. “Ao avaliar o padrão de fluxo sanguíneo no interior de uma lesão na mama ou na próstata, por exemplo, o radiologista pode estimar melhor o seu risco de malignidade e orientar o oncologista quanto à melhor conduta a ser adotada”, destaca.

O procedimento é feito por meio de uma coleta de sangue, onde o DNA da paciente é extraído para análise. De acordo com a Dra. Michele Migliavacca, médica geneticista do Laboratório Exame, o teste é indicado às pessoas que atendam aos critérios de diagnóstico da predisposição. “Para isso, a mulher deve passar por uma avaliação com um especialista que investigará a história da família e do paciente. Após a confirmação, a prevenção precoce deve ser iniciada com a realização de exames em uma idade mais jovem e com maior frequência que o restante da população. Assim, é possível detectar o câncer em estágio ainda inicial”, acrescenta.

O exame de TC com dose ultrabaixa de radiação está disponível na unidade Mega da Asa Norte do Laboratório Exame. As demais técnicas podem ser encontradas nas três unidades Mega (Asa Norte, Asa Sul e Taguatinga).

 

 

Revista Evoke

Acompanhe nosso instagram e veja no stories as novidades.