Cursos técnicos para quem quer trabalhar logo

Escola investe em método que acelera o ingresso no mercado de trabalho

Revista Evoke
Empreededorismo, Notícias
09/03/18 16:25

Os cursos técnicos são uma boa opção para quem tem pressa em conseguir entrar no mercado trabalho de forma direta. Com duração menor que as graduações, essa modalidade de ensino forma profissionais qualificados e, além disso, é ótima em tempos de crise e desemprego, já que enquanto alguns setores estão sem vagas, as oportunidades que exigem nível técnico continuam crescendo, nos mais diversos segmentos que possuem necessidade de mão de obra especializada. Pesquisas indicam que 70% dos técnicos têm empregabilidade imediata no Brasil. Há uma carência muito grande desse tipo de profissional. Das 54 milhões de pessoas que poderiam cursar o técnico de nível médio no Brasil, só pouco mais de dois milhões o fazem, menos de 4%, segundo o último levantamento do IBGE.

Em Brasília, com o objetivo de inovar e incentivar ainda mais os estudantes, a Escola de Saúde Unyleya acaba de inaugurar, e realiza um preparo diferenciado. Eles reuniram uma série de serviços de apoio ao aluno, voltados não só para o preparo profissional, mas incluindo todo um trabalho psicológico para que o aluno possa, além de ter certeza de sua vocação, realizar um atendimento humanizado. A humanização no atendimento é um conceito que vem ganhando cada vez mais força, não apenas pela consciência social, mas também por gerar mais retorno positivo do público e contribuir para um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo.

 A Escola de Saúde conta com o Sistema de Aceleração para Ingresso no Mercado de Trabalho – AMT, e entre os diversos serviços oferecidos estão: Departamento de Integração Escola-Mercado, que em parceria com empresas específicas ajuda os alunos a estagiarem desde o primeiro ano de curso, aliando teoria e prática de forma simultânea; orientação profissional, ensinando sobre comportamento e postura, por exemplo; orientação educacional e vocacional, que ajudam o estudante a definir a área que tem mais afinidade, além de montar planos de estudos e currículos e as certificações intermediárias em todos os cursos técnicos.

Com as certificações intermediárias, o aluno estará apto a atuar profissionalmente, antes da conclusão do curso. Para exemplificar como funciona esse novo sistema, a diretora da Escola, Kedma Villar, cita o curso técnico em Saúde Bucal, que possui quatro módulos com duração de dois anos. Ao final de um ano, quando completa o segundo módulo, o aluno receberá a certificação intermediária de Auxiliar em Saúde Bucal, estando apto para atuar profissionalmente em tarefas preventivas sob a orientação do dentista. Ao passo que ao se tornar Técnico em Saúde Bucal, poderá realizar atividades de maior intervenção, como, por exemplo, remover o fio ortodôntico ou tirar uma radiografia, sempre sob a supervisão do dentista. “Estamos sempre pensando na compatibilidade do aluno com o mercado de trabalho, preparando-o para executar as atribuições previstas para seu grau de certificação, de forma responsável e ética. Com essa certificação, o aluno garante, além da empregabilidade, a experiência enquanto estuda”, explica. A Escola oferece ainda os cursos técnicos de Farmácia, Enfermagem e Estética.

É grande a variedade de cursos oferecidos pelas escolas técnicas, cada vez mais procuradas por aqueles que possuem foco e estão cursando ao menos o segundo ano do Ensino Médio, já que o conteúdo será voltado para a área profissional desejada e suas principais funções. É importante lembrar que após a formação técnica completa, é possível enriquecer o currículo com especializações ou até mesmo com um curso superior. Até porque, já contando com experiência profissional, o estudante terá mais chance de conquistar uma promoção.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe nosso instagram e veja no stories as novidades.