Procedimentos estéticos dentais estão em alta no Brasil

País ocupa o 2º lugar no ranking mundial dos que mais investem

http://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/09/revista-evoke-avatar.png
Revista Evoke
Bem Estar, Saúde
27/04/18 17:47

Ficando atrás somente dos Estados Unidos, Brasil é o que mais investe em estética dental. País está no 2º lugar do ranking mundial segundo uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). Procedimentos como lentes de contato e facetas de porcelana, além dos clareamentos em geral têm sido muito procurados. Mas como saber o procedimento mais indicado para cada caso?

Existem diferenças entre facetas e lentes, e suas as indicações dependem da condição bucal de cada paciente. Essas facetas e lentes de contato dental se tornaram uma febre até mesmo entre os famosos. A dentista Ianara Pinho destaca que ambos podem ser comparados a uma película de cerâmica. Leva-se em consideração a espessura do material. A diferença é que as facetas são mais espessas, o que tem relação direta com as indicações e contraindicações de cada uma delas.

“Em casos de, por exemplo, necessidade de ligeiros aumentos de comprimento dentário, mudança sutil de forma e fechamento de espaços entre os dentes (diastemas) o tratamento reabilitador utilizando as lentes de contato consegue promover um resultado satisfatório. Já em situações em que há necessidade de correções como cor e pequenos desalinhamentos dentários, ou ainda em casos de dentes com restaurações antigas, o tratamento mais indicado lança mão das facetas cerâmicas”, explica Ianara.

Segundo ela, é importante conhecer e estudar as limitações de cada caso. Dessa forma ocorre o tratamento e planejamento seguro. Isto ainda favorece a longevidade dos procedimentos estéticos em odontologia. E, só quem tem propriedade para chegar a uma decisão é o especialista, ou seja, não é apenas uma vontade do paciente.

 

Clareamentos em geral

Atualmente, existem três técnicas de clareamento dentário: caseiro, de consultório e associado. “As diferenças entre as técnicas guiam a indicação de cada uma, após avaliação de forma individual de cada caso. Isto porque este tipo de procedimento requer uma condição saudável de toda a região oral para que seja bem sucedido”, explica Ianara Pinho.

Desde 2015 a uma resolução da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a qual determina o controle da comercialização de clareadores. A dentista alerta que é imprescindível à supervisão profissional antes, após e durante o processo de clareamento. Com isso, as vendas desses produtos só podem ser feitas com a prescrição de dentistas habilitados e inscritos no conselho profissional.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.