Atividade Física, Varizes e Verdades!

Conheça dicas para serem adotadas

http://revistaevoke.com.br/wp-content/uploads/2017/07/revista-evoke-colunista-allan-lucena.jpg
Allan Lucena
Bem Estar, Fitness
02/05/18 14:08

Somos movidos pela estética e “atire a primeira pedra” quem não se importa com a sua aparência! Somos induzidos a nos preocuparmos com a imagem, peso corporal, gordura abdominal, quadril largo e pernas em igual preocupação. Sim, as pernas e junto delas as varizes superficiais, temidas pelas mulheres. E as profundas, calibrosas e tortuosas que atingem tanto homens, quanto mulheres.

Pra discorrer sobre esse assunto que gera muitas dúvidas, convidei meu amigo de profissão Fábio Cruz, especialista em Musculação e Avaliação Física para me ajudar a apontar as verdades que circundam esse problema tão comum em ambos os sexos e várias faixas etárias.

 

 

É importante saber que o coração impulsiona o sangue para todo o corpo por meio das artérias, e no retorno venoso o sangue é facilitado pelas válvulas existentes nas veias, que por sua vez se abrem para a passagem do sangue e automaticamente se fecham para que esse sangue não demore a voltar e não provoque o refluxo para as extremidades em quem é saudável. Defeitos nessas válvulas, muitas vezes congênitos e outras vezes provocados por desuso e hábitos inadequados são as origens das varizes, ou seja, o sangue até sobe de volta ao coração, mas fica acumulado e fazendo pressão nas pernas, nas ramificações superficiais ou profundas.

Com pernas inchadas, cansadas, dores, ardência, veias dilatadas, tortuosas, avermelhadas e com perda funcional que aparece no sistema venoso superficial dos membros inferiores, surgem as reclamações e primeiras desconfianças do problema. Esteticamente e principalmente nas mulheres é muito fácil de identificar as varizes. De fácil tratamento e responsáveis por vinte por cento (20%) do retorno venoso. O mais indicado é o uso das meias de compressão, que pegam desde o pé até acima dos joelhos e até mesmo perto da virilha. Também os tratamentos medicinais com espuma, que são eficientes para o sumiço completo dessas “teias de aranha”.

Devemos nos atentar e saber diferenciar as varizes – que são 20% do problema – dos oitenta por cento (80%) que são os mais preocupantes. As temidas veias com insuficiência profunda de grande calibre, inseridas entre músculos mais espessos. Ambas devem ser observadas e tratadas (não são tratamentos definitivos), mas as mais profundas é que devem ser foco de cuidado intensivo.

Treinar e se movimentar ajuda muito em ambos os casos, mas as orientações a seguir estão relacionadas mais ao maior problema. Para começar, o professor Fábio Cruz alerta – “É importante reconhecer os próprios limites, pois exigir mais do que o seu corpo pode oferecer é só um risco a mais para as varizes. Então, busque antes de tudo uma avaliação e acompanhamento profissional para que usufrua apenas dos pontos positivos da atividade física”.

Existem alguns mitos sobre a atividade física para quem tem varizes ou insuficiência profunda. Uma delas é o descarte da musculação como opção de tratamento ou prevenção. Na realidade, a contraindicação é apenas em casos extremos e momentâneos de crise, como por exemplo tromboses e inflamações acerca do problema, voltando a ser indicado no caso de tratamento. Fábio Cruz ressalta, também, que “o maior fator para a formação dos vasos ou insuficiência é a dificuldade da circulação do sangue. Então se você adotar exercícios que exijam condicionamento de seus membros inferiores, só estará adquirindo benefícios”.

 

Algumas verdades para serem seguidas e adotadas:

– Caminhe e procure não ficar por muito tempo sentado ou em pé;

– Eleve as pernas algumas vezes por dia, por 15 minutos;

– Faça exercícios flexionando e estendendo os pés algumas vezes por dia, onde estiver;

– Evite esportes de contato para não ferir as varizes mais calibrosas e expostas;

– Não prenda o ar ao fazer exercícios de musculação;

– Não pegue muito peso, use metodologias diferentes do treino de força;

– Use meias esportivas de compressão, achadas facilmente no mercado;

– Faça exercícios voltados para a região da panturrilha. Já ouviu falar que a panturrilha é nosso segundo coração?

 

Por fim, saiba que não existe exercício ruim, e sim aplicação inadequada de atividades. Por isso, se faz importante à prescrição por professores de Educação Física. A segurança ao praticar atividade física aumenta o aproveitamento e o prazer. Use roupas leves e mesmo que haja compressão, que essa seja ideal, pois a compressão exagerada também prejudica a circulação, assim como um tênis apertado. Bom treino.

 

 

Revista Evoke

Acompanhe todas as novidades pelo instagram.